Screen Shot 2015-04-23 at 10.55.25 AM

Aproveitei uma semana super agitada e com muitos eventos pra gravar um vlog da semana! Não devo fazer sempre, mas como essa tinha várias coisas legais acontecendo, achei que seria legal.

Na quarta passada teve o evento de lançamento da nova linha de Natura Ekos, os cremes feitos com Ucuuba, um fruto da amazônia super leve e hidratante. Estou testando e vou postar no blog em breve. Eu e a Anne fomos lá ver qual é e tomar uma champa, conversar e matar a saudade.

Na sexta teve um festival com show do Karnak, uma banda super antiga que eu e o meu namorado adoramos… É um projeto do André Abujamra, e é muito legal. Foi divertido e o Rafa ficou mostrando seu talento de locutor na volta.

No sábado eu fui furar meu nariz! Fiz um vídeo falando mais detalhes sobre ele e vocês verão semana que vem, mas mostrei como foi ir lá furar! Depois passamos no Mercado Mundo Mix e fui no stand da Fique Rica, uma marca de acessórios que eu adoro e sempre falo por aqui. Peguei umas peças que quero mostrar por aqui em breve!

Vocês gostaram desse tipo de vídeo?

0
Share
Foto por Jessica Polar

(Foto do destaque por Jessica Polar)

Eu nunca quis glamourizar os problemas psicológicos. Acredito que na maior parte das vezes eles são temporários (e esse tempo pode ser curto ou longo, mas ele passa eventualmente) e tratáveis. Você não precisa passar uma vida toda se apoiando em remédios e químicas pra viver e sobreviver.

Não tem nada de bonito em precisar de uma tarja preta pra dormir. Quem acha muito cool dizer que toma um “rivo” ou “cadê meu frontal” todos os dias nas redes sociais não consegue compreender a amplitude de um problema de verdade. Não deve saber o que é estar no meio da rua e achar que não vai conseguir chegar em casa porque não consegue respirar, ou precisar ir trabalhar e não conseguir levantar da cama porque alguma coisa muito pesada está te segurando lá.

Mais de uma vez, na minha vida, usaram o fato de eu tomar um remédio para me atingir. A ex de um ex, com ciúme, me chamava de “a tarja preta” pra várias pessoas, num período que eu tive uma depressão muito forte. Eu não a culpo. Ela estava com ciúmes e viveu um relacionamento abusivo com um cara idiota – eu vim a descobrir depois os efeitos que um relacionamento desse causa na gente.

A real é que eu tive uma fase muito tensa na minha vida e achei que lidaria com isso sozinha, mas eu deveria ter começado a fazer terapia ali mesmo. E isso foi virando uma bola de neve na minha cabeça e no meu coração, arrastando outras coisas e dúvidas de uma forma que se tornou o que é hoje.

Depois de muito tempo na adolescência sendo diagnosticada com mil coisas diferentes (porque médico de convênio é quase sempre uma merda, pardon my french), tomando vários remédios que nunca ajudaram em nada e de passar por um período longo (e ótimo, com altos e baixos, mas como uma pessoa normal) sem qualquer remédio, evitando até anti-gripais e paracetamol, voltei a ter crises de ansiedade e pânico.  Fui no médico, estou fazendo terapia, vou começar a fazer exercícios, estou mantendo a mente ocupada e tentando aprender formas novas de respirar, de pensar, de amar, de ver a vida.

Esse é um processo diário que depende só de mim, e por mais que o apoio das pessoas ao meu redor seja muito bem-vindo (e também a capacidade delas simplesmente não atrapalharem se não estiverem afim de ajudar) o mínimo que eu espero é compreensão. É muito fácil você julgar uma pessoa de “louca” ou “descontrolada”quando alguém está passando por um momento difícil. Porque amanhã pode ser você procurando um psicólogo, um psiquiatra, ou um amigo. Porque Transtorno de Ansiedade é a doença da vida moderna. A gente recebe muita informação e muita cobrança o tempo todo. Estamos o tempo todo online, disponíveis para sermos cobrados e julgados, e esse é um peso que chegou muito de repente na minha geração.

Não estávamos preparados pra isso e a maioria de nós não está reagindo bem.

Uma coisa que eu sinto muita falta quando estou tendo uma crise é saber que alguém passa por isso. Queria ouvir uma dica, um conselho, algo que faça passar. Então eu resolvi colocar a cara no sol pra falar sobre isso também.

Não tenho que ter vergonha de estar com um problema porque eu quero, e vou, ficar bem em breve. Então vou usar essa fase difícil pra ajudar outras pessoas também.

Por enquanto, é isso que eu digo: você não está sozinhx.

Acende uma vela, sente o cheirinho gostoso, faz um chá quentinho, ouve a chuva lá fora. Coloca uma música calma e sente cada pedacinho do seu corpo.

Pensa no seu lugar favorito.

Respira fundo.

Você não está sozinhx.

3
Share
THUMBPERUCA copy

PRONTO! Fiz o vídeo contando todos os detalhes sobre a minha peruca diva que vocês tanto perguntaram! Porquê eu comprei uma peruca? Quanto custou? Ontem comprei? Como coloca esse treco na cabeça? Respondi isso e mais no vídeo abaixo:

Comprei com o vendedor Qingdao Milkway no AliExpress e demorou cerca de 20 dias pra chegar, como contei no vídeo.

Não tirei mais fotos com a peruca pois como vocês podem ver pela minha cara eu estava super doente esse dia. Ando tendo crises terríveis de rinite (já estou tratando) e estava me sentindo muito doente nas últimas semanas, não tinha maquiagem que disfarçasse… Mas vou fotografar um look completo em breve usando ela e posto aqui!

Se você comprar alguma peruca no Ali com esse ou outro vendedor, me mande fotos! Quero ver :)

1
Share
GRWMbalada

Tem vídeo novo no canal! Gente do céu, não tinha pensado no trabalhão que dá pra editar um vídeo de Get Ready With Me (Se arrume comigo) mas adorei fazer e já quero fazer outros.

Vamos ao que usei:

Balm Transparente Quem Disse Berenice
Primer Smashbox
Corretivo Mac Pro Longwear
Corretivo iluminador Sephora
Base Mac Matchmaster
Cílios de lojinha made in china
Cola de cílios DUO
Sombra Quem Disse Berenice Ourado
Paleta de sombras Vilãs Disney by Vult – Malévola
Blush MAC Sunbasque
Bronzing Powder MAC
Lápis para sobrancelhas Vult
Spray Fixador L’Óreal Professionel Infinium
Pomada Osis+ Mess Up

Vestido Forever 21
Meia-calça Lupo
Brincos Fique Rica!
Coturno Bottero

Me digam se vocês gostaram desse tipo de vídeo, assim eu faço mais :) E não se esquece de assinar meu canal!

2
Share
HobbitBatalhaDosCincoExercitosCONCURSO

Quem aí curte Tolkien e a trilogia O Hobbit?

Sabia que o primeiro filme do Senhor dos Anéis foi o primeiro que vi no cinema completamente sozinha? Na época eu não tinha amigos que gostavam de fantasia e cultura geek, então acabei pegando uma sessão no meio da tarde num dia entediante e foi muito legal!

Fiquei empolgada quando resolveram lançar a trilogia de Hobbit também, porque esse filme é visualmente muito rico e eu como designer (não exerço atualmente, mas sou formada em design gráfico), fico admirando cada efeitinho especial!

O último filme da trilogia baseada na obra de J. R.R. Tolkien, A Batalha dos Cinco Exércitos, acabou de ser lançado em mídias que você pode ter em casa e, pra comemorar, vou sortear um DVD do filme aqui! No mesmo esquema do sorteio do box de Game of Thrones. Então vamos lá!

Para concorrer ao DVD você precisa dar uma resposta para a seguinte pergunta:

Se você fosse o líder de um sexto exército na Batalha, qual seria seu ponto forte? 

Você precisa mandar sua resposta até o dia 19/04. O resultado sai no dia 20/4. Eu entrarei em contato com o ganhador por e-mail e ele(a) receberá o prêmio em casa! Para participar, preencha o seguinte formulário (ou clique aqui se você não vê o formulário abaixo):

“O Hobbit. A Batalha dos Cinco Exércitos”  já está disponível em BD3D, BD, DVD e Digital HD. É o desfecho épido da trilogia da Terra-Média, dirigido pelo renomado diretor Peter Jackson. Se você não vai aguentar esperar o resultado do sorteio, garanta já o seu em uma destas lojas:
Americanas | Submarino | Saraiva | Cultura | FNAC.

0
Share
BatomMateQDB2

Quase todas blogueiras já fizeram resenhas desses batons, sim! Mas eu comprei duas cores que achei que combinariam melhor com a minha pele e quis vir aqui contar a minha experiência.

Antes de comprar um produto eu gosto de ler várias resenhas porque as blogueiras tem experiências diferentes, seja pela cor da pele, pelo nível de facilidade de aplicação, pelo tipo de pele… então quando pra uma um produto pode ser ótimo, pra outra pode ser horrível.

BatomMateQDB3

Como disse, comprei duas cores no dia de lançamento dos produtos: o Uvali e o Vinheli. Amo esses tons e achei que ficariam melhor com meu estilo e minha cor de pele.

BatomMatteQDB4

O batom é líquido e vem com um aplicador tipo gloss, e eu acho que para as cores mais escuras ele pode fazer uma sujeira, principalmente pra quem, como eu, não tem muita coordenação motora experiência, né? ;)

A duração é ótima – sobreviveu a uma manhã inteira bebendo água e parmegiana no almoço, só precisando de um retoquezinho básico. Ele demorou bastante pra começar a descascar nos meus lábios, mas eu não tenho lábios secos. Se você tem, recomendo que meia hora antes de aplicar o batom passe uma camada de balm e retire antes de aplicá-lo!

Ah, e não transfere muito, não. Prova disso é que passou no TESTE DO NAMORADO:

TesteDoNamoradoQDB

As cores são lindas e eu estou super feliz com minhas escolhas. Ainda rolou um frisson em cima de uma cor meio marrom, mas acho que se eu comprasse quase não usaria. Não adianta, gosto de batom assim, bem chamativo ;D

BatomMateQDB1b

BatomMatteQDB1a

Os batons podem ser encontrados na loja virtual e nas lojas físicas da marca por R$31,90, mas estão com o preço promocional de lançamento: R$29.90.

Se quiser ver as outras opções, você pode ir no Borboletas na Carteira, pois a GFlores fez swatches de todas as cores da coleção. Também tem no Pausa para Feminices, e, conforme eu for achando mais resenhas legais, coloco aqui!

 

1
Share

Dois meses já configura ANIVERSÁRIO CHEGANDO? Faço 29 anos (ainda praticamente uma adolescente) no dia 6 de junho e já tô enchendo minha wishlist de coisinhas maravilhosas que quero muito!

WishlistAbril

1. Recebi ontem mesmo o release dessa coleção Glam Punk da Chilli Beans que começa a vender agora em Abril nas lojas. Esse modelo é maravilhoso! A partir de R$289.
2. O modelo 80’s Superstar Metal Toe da Adidas é a minha cara (e combina com o óculos da Chilli Beans, haha). Eu amo os tênis da Adidas e esse tem uma vibe Mad Max que eu curto muito e combina demais com o meu estilo. Na loja virtual deles, por R$499.
3. Amo bolsa satchel e essa da Petite Jolie é uma gracinha. Esse verde sereia é minha cor favorita. Tem na loja virtual temporária da marca por R$139 e tá rolando ação com algumas blogueiras. A “embaixadora” da bolsa é a Kah, do E Aí Beleza ;)
4. A paleta Vice 3, da Urban Decay, tem todas as cores de sombra que eu quero na vida. Todas. Pode me dar. Eu agradeço. U$60 no site da marca. Não vi pra vender ainda no Brasil.

0
Share
THUM000000210000_pq

Existem cinco coisas muito bobas e sem graça, mas que eu sinto muita falta em Nova York, e nas quais eu penso todos os dias.

  1. Passar de ônibus aos domingos pelo bairro judeu do Brooklyn e ver as famílias todas a pé indo fazer suas coisas no fim do dia. As mães com as crianças pequenas e meninas, com as roupas todas parecidas em preto, branco e azul escuro, a cabeça coberta com algum chapéu ou lenço. Os meninos mais velhos e os homens todos unidos, com seus chapéus de abas largas ou pêlos, aqueles cachinhos do lado. Me sentir uma estranha sem entender uma palavra do que eles falam, com meu top cropped sendo um absurdo intrusivo em sua cultura rígida. Estar em outro país, dentro de outro país.
  2. O metrô que faz vinte graus (Celsius, ainda não aprendi a pensar em Fahrenheit) a mais debaixo da terra do que fora. Se está calor na rua, lá embaixo estará insuportável, e dentro do trem vai estar congelante por causa do ar condicionado. Se está frio do lado de fora, você vai começar a tirar todos os casacos na escada, e colocar alguns de volta ao entrar no vagão. Entre o tira e põe de casacos e o suadouro da estação, perde-se algumas calorias.
  3. A cor do céu. É diferente. Eu não sei se é por causa do hemisfério, já que eu nunca fui pra outro lugar no mundo. Mas o céu de Nova York é lindo demais quando o sol se põe no horizonte dos prédios de tijolinhos. Um dia eu parei no meio da rua e derramei uma lágrima. Felicidade era aquilo.
  4. Sentar na Union Square por quarenta minutos e contar quantos tipos de gente louca aparece — dançarinos brancos, travestis, pessoas com cachorros, b-boys, velhinhos, traficantes, namorados, cantores indies, turistas japoneses, moças fashionistas, homens de negócios, trabalhadores latinos, repórteres, policiais, bandas de jazz completas que surgem do nada, eu e você.
  5. Sair com a roupa mais estranha que eu tinha na mala e ninguém me olhar torto ou feio, ser paquerada na rua (por uma menina bonita) mesmo estando do lado do meu namorado e ainda encontrar uma garota com uma roupa igualzinha a minha.

    Porque, afinal, é Nova York.

    E você pode ser quem você quiser.

 

(esse post foi publicado originalmente no meu Medium.)

1
Share
Magenta_meioGIF

Eu passei duas semanas infernais.

Tem blogueira que não gosta de falar que sente. Eu não consigo me resumir a xampu, sapato e maquiagem. Não que seja errado escolher só falar sobre certas coisas e não querer expor sua vida pessoal ou seus sentimentos. Mas eu passei tantos anos escrevendo só poesia que seria muito fora do natural não falar desse tipo de coisa que todo mundo passa, mas a gente usa a internet pra fingir que vive uma vida sorridente em um filtro de instagram.

Nas últimas duas semanas eu tive problemas relacionados à saúde, física e emocional. Fiquei doente. Tive um lance de família meio bizarro. Precisei cancelar uma discotecagem que eu queria muito fazer. Umas paradas de grana, umas paradas de trabalho. Não, eu não vivo do blog, infelizmente, por mais que eu queira muito – ele nem paga minhas contas. Meu macbook novinho foi pra assistência duas vezes. Eu perdi um monte de arquivos, fotos e vídeos que eu tinha gravado e estava faltando só editar pra postar aqui e no YouTube. Eu quis desistir, dormir, fugir, mudar de nome.

Muita coisinha deu errado. Minhas unhas quebraram, minha pele está horrível, eu estou bem acima do meu peso, meu guarda-chuva quebrou, saí de sapatilha no dia em que precisei andar com água até a canela e de bota quando fez trinta graus, me irritei em casa, minha conta de gás voltou,  eu fui tomar um passe e dei de cara com a porta.

De manhã, meus olhos se arregalavam às cinco e quarenta. Quando eu acordava ainda não estava nem claro do lado de fora, minha cabeça latejava e eu estava consciente do meu corpo inteiro de uma forma que a gente só fica quando está doente. Quem disse que consciência corporal é sempre uma coisa boa? Cada músculo de mim doía. Eu tomei remédio. Eu cansei de remédio. Eu comecei a fazer terapia convencional pela primeira vez na vida. Eu me enrolei no colo do meu namorado como se fosse um tatu bola.

Aí hoje de manhã eu encontrei um conhecido no ônibus, que eu não via faz tempo, mas que me acompanha pelo Facebook. Ele disse:

– Nossa, seu computador quebrou de novo. Que azar, né?

Eu fiquei pensando nisso de azar, de estar cansada, de reclamar da vida. Pensei na minha vida profissional nos últimos tempos. No resumo torto que fiz pra psicóloga do último ano da minha vida. E eu decidi que não vou deixar que seja assim. Que essa merda toda é, sim, uma merda, mas ela vai ter um fim. Eu vou dar a volta por cima nessa caceta toda. Vocês vão ver. Eu suspirei, olhei pro meu amigo, e falei:

– É sim. Mas foi a última coisa que deu errado.
– Ué… porquê?

Eu sorri, meio forçado, meio me forçando, meio com o restinho de boa vontade que eu sei que tá lá dentro de mim:
– Porque eu estou mandando.

 

 

5
Share