CorNova1

Umas semanas atrás eu não aguentava mais a cor do meu cabelo. Depois de alguns anos com as californianas de raiz, eu comecei a me cansar um pouco. Amo meu loiro, mas começou a dar uma saudade do ruivo, e precisava mudar.

CorNova1Sempre que a gente passa por alguma grande mudança na vida, dá essa vontade de mudar o look também. É como se virássemos uma nova pessoa e isso desse forças pra seguir em frente.

Recebi um press kit de Koleston muito legal mais ou menos na mesma época, com as cores de inverno e chocolates delícia que correspondiam com cada cor:

CorNova5

A cor que eu achei que combinava melhor e não iria destoar tanto da minha cor atual para começar uma mudança sutil e gradual para o ruivo foi a Avelã Tentação, número 874.

CorNova4

Essas tinturas são super fáceis de usar. Tava entediada no feriado, taquei a parada toda na cabeça e deixei por 50 minutos. Lavei e tava pronto.

Essas fotos são depois de três ou quatro lavagens! A cor ainda está bem perto do que estava quando pintei, e isso me deixou muito feliz porque não está desbotando facilmente praquele tom “àgua de salsicha”. Estou super feliz com o resultado.

CorNova3

Ficou mais castanho claro, com um leve fundo ruivo. Na hora de retocar, vou puxando mais pro alaranjado.

CorNova2

Quem se lembra de quando eu era super ruiva? Será que chego naquele ponto novamente?

 

0
Share
Rosie

Quando eu era adolescente, tive meu primeiro namorado, o Bruno, lá na cidade que eu morava. Era um guri bonitinho de olho verde, que tinha uma banda e tocava guitarra, gostava de Oasis mais do que deveria e como todos os meninos de quinze anos achou que eu caí na história de que ele não pegou ninguém na viagem de formatura pra Porto Seguro.

A gente tinha um namoro de criança, daqueles que termina na sexta de carnaval e volta na quarta de cinzas como se nada tivesse acontecido. Com ele, vivi minhas primeiras experiências, e foi legal enquanto durou aquelas tardes de verão se pegando no portão de casa, assistindo Matrix, ouvindo ele tocar alguma coisa no porão, brincando com a cachorra, com o gatinho que ele me deu (RIP Salém). Mas aí acabou, porque eu tinha 14 anos e uma cidade inteira pra pegar, uma vida inteira pra viver – e ele também.

Um tempo depois ouvi dizer que ele começou a namorar uma “menina de São Paulo” que tinha uma casa em Atibaia, e minhas amigas falaram todo absurdo da menina. Acho que tinham medo de fazer qualquer comentário positivo e eu ficar chateada, mas eu não podia me importar menos com essa situação toda. Ignorei tudo aquilo.

Um dia, meu telefone tocou.

“Oi, Dani! Aqui é a Mell, a namorada do Bruno, tudo bem?”

Eu morava numa cidade em que meninas de escola pública queriam bater em meninas de escola particular por achar que nós “roubávamos os homens” delas. Tudo isso antes dos quinze anos. A rivalidade feminina me incomodava tanto que eu tinha poucas amigas mulheres, quase nenhuma. Eu acabava sendo a menina no meio dos meninos, e cada vez mais fui me afastando das amigas de escola em direção ao rolê do punk rock e fugindo disso tudo. Quando a Mell me ligou, eu achei que ela ia me xingar, falar algo muito horrível. Lembro até hoje dessa ligação.

“Então” ela continuou, vendo que eu não tive muita reação “é que o Bruno falou que você gosta de música, e que faz teatro, eu acho que a gente pode se dar super bem, porque eu também faço teatro, a gente é super parecida, aí te liguei pra gente ser amiga”.

Na hora eu pensei que essa mina só podia ser louca. Mas ao mesmo tempo, que ela era a mina mais corajosa e foda que eu já havia conhecido na vida, e me apaixonei ali mesmo. Pensei “quero essa mulher na minha vida pra sempre!”. Não era um amor amoroso, era um amor de amiga.

Eu e a Mell em 2002, quando mudei pra SP.

A gente ainda não sabia de feminismo. A gente não imaginava que existia sororidade. Eu só fui aprender essa palavra muito tempo depois. Mas ela me ensinou ali, na prática, que a gente não precisa ser inimiga. E eu levei isso pra minha vida, tentando sempre deixar sentimentos idiotas como ciúmes de lado e colocando a nossa condição de mulher e ser humano acima de tudo.

Hoje a Mell casou e teve uma filha linda, enquanto meus namoros começam e terminam mais rápido do que deveriam. Nossas vidas foram em caminhos diferentes, e a gente mora na mesma cidade e nunca se vê, mas eu a amo ainda mais que tudo. Ela me ensinou a maior lição da minha vida, a primeira que formaria a mulher que sou hoje, e acho que ela não sabe disso até agora porque eu nunca tive a oportunidade de falar.

Hoje eu tenho muito mais amigas mulheres do que homens. O feminismo ter ficado “pop” foi a melhor coisa que aconteceu pra minha vida, porque tenho muitas minas com quem posso contar e sei que elas não estão torcendo pelo meu mal, pois estão todos os dias descontruindo a rivalidade que nos ensinam desde pequenas.

A gente pode ser miga SIM! Sempre. A ex do ex. A ex da ex. A atual do ex. A amiga da amiga. A amiga do atual. Todas juntas.

Lendo esse texto da Marcella Rosa eu só pensei nisso. Que sororidade é demais. Que ter migas é maravilhoso. Que ter amigas mulheres, finalmente, é incrível.

Obrigada, Mell.

Obrigada, Migas.

1
Share
DaniOliTHUMB

AHÁ CÊS ACHARAM QUE EU TINHA MORRIDO NÉ? Mas é claro que não!

Quase, mas não!

Gente, no vídeo de hoje vocês vão conhecer uma das pessoas mais especiais DO MUNDO pra mim. O Oliver é meu amigo há um zilhão de anos, uma das pessoas que eu mais amo do universo. Umas semanas atrás ele veio aqui em casa e a gente gravou um vídeo falando sobre GAYDAR! Sabe aquele “radar”, o feeling pra saber se alguém é gay ou não? Tem muita polêmica sobre isso. Será que gaydar existe? A gente conversou sobre isso e o resultado ficou hilário.

Também falamos sobre nossa adolescência gay no interior, sair do armário, e sobre como o Oli está me devendo 50 reais.

Assiste aí!

1
Share
GAYISOKTHUMB
,

Ontem recebi em casa um sabonete muito lindo pra divulgar a campanha #GayIsOk, da Lush. Eles me pediram pra ajudar a divulgar a causa e eu fiquei super feliz em participar!

#GayIsOk é a campanha mundial pró direitos LGBT lançada pela marca de cosméticos naturais, junto com a organização All Out, e tem como meta arrecadar £250 mil (aproximadamente R$1,25 milhões) para serem doadas a grupos de conscientização LGBT ao redor do mundo.

Aqui no Brasil não é proibido ser gay, lésbica, bi ou transgênero, mas não temos direitos iguais em muitos quesitos e ainda sofremos muito com homofobia. Várias pessoas sofrem preconceito, violência e perdem suas vidas diariamente.

Como disse no vídeo isso não é um publi. Estou divulgando porque É IMPORTANTE, SIM! Assiste o vídeo pra saber mais:

O sabonete custa R$17,50 e você pode comprar pelo site ou em uma das lojas da marca!

0
Share
Sense8

Uns dois fins de semana atras eu devorei Sense8, uma série que estreou este mês na Netflix. Em partes porque queria ver tudo logo pra participar do podcast do GeekVox (se você já assistiu a primeira temporada, ouça o podcast aqui!) e em partes porque quando cheguei no quinto episódio eu não consegui parar. Eu literalmente tomei banho vendo um episódio pra não me atrasar pra aula de direção e não precisar parar de assistí-lo no meio.

Acho que não ficava obcecada por uma série assim desde Lost. Talvez a presença do Sayid ali tenha despertado memódias Lostianas em mim.

Mas vamos à série. Se você ainda não sabe (tá vivendo numa caverna), ela é uma série criada pelos Wachowski (os irmãos Luna e Andy, criadores de Matrix) que conta a história de oito pessoas ao redor do mundo que estão conectadas mentalmente e começam a ser caçadas por uma organização. Quando eu li a sinopse achei meio nada a ver. Quando vi o trailer fiquei um pouco mais interessada. Quando vi os primeiros capítulos, achei que demora pra engrenar. Mas aguente firme! Assista até, pelo menos, o sexto episódio antes de desistir da série: são muitos personagens que você precisa conhecer antes da ação começar.

Quando você chegar no sexto episódio, reserve mais seis horas da sua vida pra assistir os seis episódios restantes sem parar nem pra fazer xixi.

Sense8-620x400

Se isso tudo não foi o suficiente, fica aqui uma listinha de cinco motivos pra você largar tudo o que está fazendo, seu emprego, amor, esquecer de pegar as quiança na escola, ficar dois dias sem tomar banho e começar a ver Sense8 agora:

1) A série trata a sexualidade de forma muito natural. Há um casal gay e um casal de lésbico, em que uma das mulheres é trans – o que abre os olhos de muita gente sobre a diferença entre orientação sexual e gênero. Além disso, os sensates em nenhum momento tem estranheza em relação a orientação sexual do outro e isso é maravilhoso. Vamos lembrar que Lana Wachowski, uma das criadoras da série, é trans (e a atriz que faz a personagem trans também é! Viva a visibilidade!)!

2) Está cheia de minas fodas e eu amo quando a série tem personagens femininas incríveis. Em Sense8, temos a indiana que fez faculdade e se formou cientista, diferente de muitas de seu país. Também tem Sun, que sofre com a sociedade machista da Coréia, mas é uma lutadora de primeira e não desiste de seus objetivos. Amanita, a namorada de Nomi (a personagem trans), também é incrível – quase uma sensate por consideração.

3) A série é visualmente incrível e mostra a beleza de lugares completamente diferentes do mundo, da gélida Islândia ao quatro de julho sendo comemorado em Chicago. Parada gay em São Francisco, sol se pondo na Cidade do México. A fotografia é maravilhosa e deve ter dado um trabalho do cão.

4) Todo mundo ama conspirações e a do enredo de Sense8 vai te deixar pensando muito, criando novas teorias a cada minuto e fazendo seus amigos assistirem a série completa pra que vocês possam conversar sobre isso.

5) Você precisa assistir tudo pra poder ouvir o podcast que eu gravei com o GeekVox porque foi engraçado demais, mas tá cheio de spoilers! Como falei no meu Twitter, eu ri tanto que valeu por todas as abdominais da semana (que eu não faço e deveria fazer). Foi engraçadíssimo e os meninos são demais. Falamos sobre meditação, transfobia, feminismo, diferenças culturais e um monte de coisas. Corre lá pra ouvir!

E aí, já assistiu? O que vocês estão achando?

0
Share
LookAlpargatas2
,

Esses dias tem feito frio em São Paulo. É incrível como o tempo muda meu humor. Eu prefiro temperaturas mais amenas, mas dias cinzas me deixam extremamente mau humorada! É só abrir um sol que eu já quero sair plantando bananeira por aí. Então aproveitei pra fotografar esse look!

LookAlpargatas5

Umas duas semanas atrás fui conhecer o outlet da Alpargatas, a Meggashop! Lá tem várias marcas com preços muito amigos e eu fiz a festa. Claro, quem curte roupa pra academia vai se dar muito bem por lá, mas quem também está procurando uns looks pra ir pra praia ou pra passear também encontra muita coisa legal, tipo esse coturno maravilhoso da Timberland. Foi amor a primeira vista e ele tava MUITO abaixo do preço. Tive que levar.

LookAlpargatas1

O top da Rainha é tão lindo que eu levei também em tons de verde – mostro em algum look futuro, tenho usado bastante pra ir nas aulas de pole dance e também por baixo de regatões, no dia a dia mesmo! Ele é bem confortável e me deixa segura, por ser largo.

LookAlpargatas2 LookAlpargatas3

Amando essa saia da Havaianas. Eu nem fazia ideia que a marca também fazia roupas até visitar a Meggashop. Tem várias estampas lindas e o tecido é um pouco mais pesado, como se fosse um moletom, perfeito pro inverno.

LookAlpargatas4

Top: Rainha; Coturno: Timberland; Saia: Havaianas

Ah, a loja da Meggashop que eu fui é enorme e fica na Moóca, em São Paulo. No site deles tem os endereços de todas as lojas do Brasil e você pode descobrir qual mais pertinho de você :)

*Este post não é um publi, mas as peças foram cedidas pela Meggashop. Obrigada! 

0
Share
THUMB_BISSEX

Voltei com os vídeos de “O que é…” com um muito tema muito especial: bissexualidade.
Ontem foi o Dia Contra a Homofobia e nada mais justo do que falar sobre minha orientação sexual. Nós sofremos muito preconceito, tanto de pessoas hetero quanto de pessoas homo, e eu achei que era uma ótima oportunidade pra explicar algumas coisas e contar a minha história! Falei sobre como eu “descobri” que sou bi, como foi sair do armário pra minha família, fidelidade, etc :)

O vídeo ficou um pouco longo, e mesmo assim não deu pra falar tudo o que eu queria ter falado…

Preconceito é falta de informação, gente! Vamos abrir o coração e a cabeça pra compreender que somos todos diferentes uns dos outros?

:)

1
Share
5DicasAnsiedade

Algumas semanas atrás eu falei aqui sobre viver com o transtorno de ansiedade e não esperava a quantidade de respostas que recebi, não só nos comentários mas também por mensagens e e-mails. É inacreditável a quantidade de pessoas que vivem com esse tipo de problema e se sentem sozinhas porque acham que ninguém vai compreender.

Quando comecei a perceber que o que eu tinha eram crises de ansiedade eu fiz o que todo mundo acaba fazendo que é PROCURAR NO GOOGLE. Nem sempre isso é bom, porque muita gente acaba se medicando e pulando a parte mais importante que é procurar ajuda de um psiquiatra E de um psicólogo (já falei antes que acredito que um acompanhamento com psicólogo é tão ou mais importante que os remédios, não caia na onda de só tomar remédio a vida toda e não fazer terapia). Mas eu também encontrei relatos de outras pessoas que passavam por coisas parecidas. Como eu não gosto de remédios e prefiro tratamentos naturais e homeopáticos sempre que for possível, minhas buscas eram mais seguras pois eu queria soluções que me ajudassem a controlar as

O que eu aprendi me ajudou muito, e venho ensinar pra vocês cinco dicas para controlar as crises de ansiedade e o estado ansioso no dia a dia!

1) Arrumar o quarto
Sim, um ambiente arrumado ajuda muito. Quando você está vivendo na bagunça e na sujeira, a ansiedade parece que piora. Sei que quando não estamos bem é mais difícil ter energia pra arrumar as coisas, mas eu sinto um prazer enorme em ver tudo limpinho depois. É como se a energia voltasse a fluir! Fora que é ótimo poder ver o chão do meu quarto novamente.

2) Exercícios de respiração
A maior parte das minhas crises de ansiedade acontecem em dois momentos: quando tenho algum evento social (como sair para um lugar em que precisarei socializar, ou um lugar com muita gente) e antes de dormir, que é quando todas as coisas do seu dia aparecem novamente na sua cabeça. O que mais ajuda nesses momentos é aquela velha dica: respire fundo. Tem dois exercícios de respiração que funcionam muito bem pra mim: quando eu estou em algum lugar público ou preciso sair em breve, eu tento focar na minha respiração, colocando as mãos no abdome e sentindo meu diafragma expandir e minha barriga levantar e abaixar, sempre lentamente (o processo de inspiração e expiração tem que durar mais ou menos uns quinze segundos). A respiração abdominal é muito mais relaxante pra mim (é quando você manda o ar “pra barriga” e não “pro peito”, sabe?). Antes de dormir, eu uso a técnica do 4-7-8: inspire em 4 tempos, segure por 7 tempos, solte em 8 tempos. Faça isso algumas vezes, relaxando seu corpo e concentrando-se na contagem dos segundos. Não me lembro de fazer mais que quatro ou cinco vezes e já estou capotada.

3) Bebidas quentes e um ambiente gostoso
Bebidas quentes e ambientes com velas e incensos sempre me ajudam. Mas atenção: evite chás com cafeína e café, porque ao invés de te ajudar a relaxar, podem te deixar ainda mais acelerado e ansioso. Se você tem crises de ansiedade antes de dormir, corte a cafeína ainda de tarde pra começar a preparar seu corpo pro relaxamento. Eu gosto muito dos chás de frutas como maçã e morango, e também de camomila e valeriana.

4) Um hobby que distraia sua mente
Muita gente fala mal daqueles livros de colorir, mas eles funcionam porque tiram sua mente dos problemas e te distraem. Fora que colorir é legal pra caramba. Não tenha vergonha de comprar um, ou imprimir desenhos da internet, mesmo. Se não é muito sua praia, encontre um outro hobby como manter um diário, bordar, estudar algum assunto, ler… Pra quem gosta de escrever, existem alguns livros de temas pra você ir escrevendo aleatoriamente , como o 642 Ideas To Write About.

5) Uma lista de músicas, filmes e séries felizes
Alguns tópicos nos deixam mais ansiosos do que outros, então é sempre bom ter à mão uma lista de músicas ou séries que você pode assistir com a certeza de que vai ser leve e alegre. Eu gosto de assistir séries de comédia e desenhos como Adventure Time e The Office, minhas favoritas do momento.

Além disso, ter uma alimentação leve e fazer exercícios sempre ajuda muito, mas esse é um processo a longo prazo. Comecei a fazer aulas de pole dance (mais sobre isso em breve!) há pouco tempo, mas já percebi que nos dias de aula eu durmo muito melhor.

Quero lembrar que isso é o que funciona pra mim. Cada pessoa tem seus rituais e algumas coisas funcionam melhor pra mim, não funcionam pra você, etc, etc.

E aí, tem alguma dica que você acha que faltou aqui? Deixe nos comentários!

3
Share
THUMB_PIERCING

Algumas semanas atrás eu fiz um piercing no septo e logo depois fiz um vídeo pra falar pra vocês sobre ele! Finalmente editei e coloquei no canal essa manhã \o/

Agora já faz umas duas semanas que eu gravei, e ele está completamente desinchado e bem cicatrizado. Ainda fica um pouco de casquinha e eu tenho limpado sempre, mas como cuidei direitinho, a cicatrização foi bem rápida. Mesmo assim, ainda vou esperar mais um mês e meio pra trocar de jóia, pelo menos… Não quero correr o risco de machucar tudo de novo.

Como falei no vídeo, fiz no Scorpions Tattoo, perto do metrô Ana Rosa, aqui em São Paulo. A piercer foi a Rúbia, super recomendo.

Quem aí tem vontade de fazer um piercing?

 

2
Share