Instagram

Follow Me!

  • Home
  • /
  • Tag Archives:  laura jane grace

Tranny, a biografia de Laura Jane Grace

Já falei aqui que sou muito fã do Against Me!? Já sim, nesse post que contei a minha odisséia atrás da banda da primeira vez que fui para os EUA em 2014 (que me rendeu até um beijo na boca da Laura Jane Grace sem querer).

Enfim, quando Laura lançou sua biografia, em que conta como foi se aceitar como mulher trans e o inferno que era a vida antes de resolver fazer a transição, eu logo comprei. Fiquei muito interessada porque eu já sabia que ela mantinha diários de sua vida inteira (quando ela contou para a esposa que era trans, deu os diários para ela ler e entender), e sempre achei que devia ser muito curioso. Eu adoro as letras que ela escreveu e me identifico super com várias delas.

O livro é incrível. Ela não tem medo de falar das drogas, de todas as vezes que foi escrota com outras pessoas e da dor que passava. Muitos trechos dos diários vão ser duplamente especiais pra quem é fã da banda, já que a gente reconhece facilmente pedaços de letras no que ela escreveu ali e pode entender melhor o contexto de várias músicas que, pelo menos pra mim, pareciam ter outro significado muitas vezes.

É um livro forte. Eu já imaginava, mas tive a certeza de que a dor que ela passou eu nunca vou entender, por ser uma mulher cis. Ao mesmo tempo, é uma história de luta e de vitória, que continua a ser escrita. O livro termina com um certo mistério. Dá vontade de pedir pra ela escrever um blog pra gente acompanhar o que aconteceu depois! Mas não é sobre isso, não é sobre acompanhar a vida de uma pessoa famosa, e sim de ver sua luta.

Achei que o livro foi quase um pedido de desculpas, e que funciona muito bem. Antes da transição eu achava que ela tinha alguma coisa errado. Era como se em todas as entrevistas parecesse uma pessoa completamente perturbada e que tinha zero empatia com o próximo. Lendo o livro ela cita vários desses momentos e dá pra entender que realmente tinha algo acontecendo ali. Viver com esse segredo pode acabar com a vida de uma pessoa (e acaba – as estatísticas falam que 50% dos jovens trans já pensaram em suicídio e 25% chegaram a tentar pelo menos um vez acabar com a própria vida).

Sobre o nome, Tranny, que em português a tradução seria uma palavra que eu nem gostaria de repetir aqui, ela deu uma entrevista no programa do Seth Meyers falando que ela também não gosta do nome e explicando porque o colocou no livro:

Recomendo a quem é fã da banda e quem não é, a pessoas trans e cis. Representatividade é a palavra, mas empatia também.

O livro chama Tranny: Confessions of Punk Rock’s Most Infamous Anarchist Sellout (em tradução livre: Travesti: Confissões da mais Anarquista Vendida Mais Infame Do Punk Rock) Eu comprei pela Amazon gringa (siga este link!) e chegou aqui na minha casa, em São Paulo, em menos de uma semana. Com o frete deu 30 dólares.