Instagram

Follow Me!

  • Home
  • /
  • Blog
  • /
  • Drops #2: respondendo assédio, gente chata e gás hélio!

Drops #2: respondendo assédio, gente chata e gás hélio!

Mais uma edição do Drops Sabor Magenta pra vocês! Essa semana falei sobre o assédio que eu sofro na rua e as respostas que dou – e posto no Facebook pra incentivar que mais meninas façam o mesmo, mas tem gente falando por aí que é tudo caô meu.

CagueiSinceramenteLegendaBoba

Virei gif!

Também tem MUITAS AVENTURAS com um balão de gás hélio. Tô pensando em pegar mais uns balões e chamar uns amigos pra fazer um vídeo, o que vocês acham?

Uma coisa que eu acho que não ficou clara no vídeo é que quando eu disse que PODE SER que eu sofra mais assédio porque estou dentro de um padrão de beleza x, não disse que você precisa ser bonita pra sofrer assédio ou que só mulher bonita sofre com isso. Todas as mulheres passam por isso todos os dias, umas mais e outras menos, e é igualmente cansativo e um lixo. Outra coisa que também esqueci de falar é que eu não surjo com respostinhas espertas do nada. Quando você passa a vida toda aguentando essas merdas, você começa a pensar nas respostas que daria, até que chega uma hora em que você tem a oportunidade de usá-las.

Aproveita e assina meu canal pra ficar sabendo dos próximos vídeos antes!

  • Sempre lembro da vez que você postou do cara que ficou atrás de você falando um monte de besteira e quando você entrou no metrô e viu q ele tava lá, foi e fez o mesmo com ele. HAHAHAH.
    Depois disso tb criei coragem pra dar umas respostas às vezes. É bom, lava um pouco a alma.

    • hhaah SIM, eu fiquei cutucando a bunda dele com um livro :D
      Quem sabe assim eles aprendem que fazer isso não é certo!

  • Nath

    Oi Dani,
    Tô postando em post antigo porque achei que seria um bom lugar pra desabafar. Procurei no campo de busca “assédio”, até chegar aqui de novo.
    Essa semana tem sido foda. F.O.D.A. como poucas são. E ainda é quinta.
    Desde segunda, já teve cara dentro de furgão, cara em cima de moto, cara andando na rua, já teve jovem, já teve velho. Mas hoje foi mais foda.
    Eu moro na Santa tbm (fui eu que te vi no ponto de ônibus e fiquei com vergonha de te chamar, e comentei depois no Insta, haha). Moro a dois quarteirões dali, e o ponto de ônibus fica a exato 1min de casa. Nesse trajeto tem tudo isso. Deve ser um tipo de recorde.
    Mas vim pra falar de hoje. Hoje eu ia pegar metrô, e estava ali no final da rampa de entrada da estação, falando com meu pai no celular. 10h da manhã, movimento sussa. Um cara saindo da estação, bem naquela dobrinha onde vira pra rampa, passou. Ele tava do outro lado do corrimão, MAS fez questão de desviar e se debruçar sobre o ferro. Pra chegar com a cara bem perto de mim. Perto mesmo, e com aquele olhar nojento, e aquele sorrisinho mais detestável ainda. Deixei meu pai falando, e respondi pra ele a velha “Algum problema?”. O moço ficou PUTO na mesma hora, e respondeu “Não pode olhar pra vc não?!!”, e respondi mais puta ainda “NÃO”. Então ele começou a xingar “então não sai, filha da puta, se esconde, vai tomar no cu, tá pensando o quê? Se fuder, etc etc etc etc”. Continuei respondendo (e meu pai na linha, rs), e ele não parou de xingar até sumir de vista. Quando ele já estava bem longe mostrei o dedo do meio, e entrei.
    Então:
    – me pergunto o QUE SE PASSA NA CABEÇA DESSE FDP de vir me abusar e ainda achar ruim?! Sou obrigada? O que ele acha que eu sou? Algum animal no zoológico?
    – várias pessoas passando, e ninguém fez NADA. Não disse nada. Nada nada nada. Se bobear, ainda passei por louca. Gente, custava?
    – desliguei o telefone em seguida, porque ia começar a chorar. Fui segurando o choro o caminho todo, ou pelo menos tentando. O único ‘apoio’ que recebi foi um senhorzinho que parecia o Morgan Freeman me olhando, acho que com pena. Ou sei lá.
    Não é a primeira vez, e provavelmente não vai ser a última.
    Conheço um bocado dos paranauê do machismo/patriarcado escroto, e sei que não é fato isolado e como isso acontece. E que tem MUITO pior.
    Mesmo assim… mano, me senti invadida pra caralho.
    Ainda estou tentando me convencer de que isso vai passar, e eu vou ficar orgulhosa por ter reagido e me sentir um pouquinho mais empoderada. Mas enquanto isso, só me sinto mal. Com vergonha. Quero chorar, quero me esconder, quero encher o cretino de porrada. Mas não vou me esconder, e não vou enchê-lo de porrada (a menos que tenha a oportunidade).
    Mas sabe… Não sei. Rs.
    Só queria desabafar. Mesmo não te conhecendo (e vc menos ainda, rs), achei que entenderia.
    Valeu.

    • Cara, eu juro, JURO que se eu estivesse perto eu ia xingar esse cara junto com você. Tem dia que é uma merda, que a gente quer chorar e dá vergonha, dá vontade de se esconder… mas não pode, tem que continuar vivendo, a maior parte das vezes eu coloco o fone de ouvido. Não sei o que é pior, chamar atenção com o fone de ouvido pra ser assaltada ou ouvir todas as merdas que a gente ouve entre o caminho de casa até onde tem que chegar… Te entendo muito. Volte sempre que puder. Vamos nos proteger, umas às outras.
      Se te encontrar por aí, pode ter certeza, a gente vai dar uns pelé juntas nesses otários.