Instagram

Follow Me!

O dia em que fui fotografada por J.R.Duran

Quando uma coisa muito importante acontece na sua vida, é difícil guardar segredo. Poucas pessoas mais próximas sabiam que, em setembro do ano passado, realizei um sonho sendo fotografada por ninguém menos que J.R. Duran. Sim, o fotógrafo que faz fotos incríveis e que tem um talento pra deixar qualquer mulher maravilhosa.

Eu ainda jogava roller derby com as Ladies Of Hell Town (atualmente estou afastada por um problema no joelho e acabei vendendo meu equipamento) quando o convite apareceu. Ele queria que nós fôssemos até o estúdio dele participar de um ensaio para a Revista Nacional – seu projeto autoral super badalado.

Sempre gostei de ser fotografada, desde criança. Ficava ensaiando caras e bocas na frente do espelho. Sei o que fazer pra parecer melhor na foto – língua no céu da boca, rosto pra cima, boca levemente aberta. Nunca fui bonita (rosto redondo, nariz meio largo, pancinha que não é reta: tenha esses “atributos” e dê adeus ao sonho de ser modelo) nem alta o suficiente pra ser modelo então me contentei com o talento de amigos fotógrafos pra me realizar e ter fotos bonitas. Então quando chegou o dia de ser fotografada pelo Duran, fiquei ansiosa o dia inteiro. Nem consegui trabalhar direito e fui direto pra lá, com meu equipamento nas costas, um short preto e uma camiseta do Garotos Podres.

Todo mundo tinha medo de que ele fosse bravo e rígido. Que brigasse com a gente porque não sabemos o que fazer na hora.

Quando entramos no estúdio, mais de vinte meninas fazendo a maior zona, logo mudamos de idéia. Duran fez questão de cumprimentar uma por uma. Foi um querido durante as três horas que ficamos com ele. Paciente ao extremo com nossa falta de experiência na frente das câmeras. Quando chegou minha hora de ser fotografada, eu esqueci todos aqueles truques pra sair bem na foto porque O CARA estava ali atrás da câmera e eu estava literalmente tremendo. Depois, ele conversou com a gente e gravou tudo. Deu risada, deu beijinho em uma por uma, perguntou nossos nomes. Um fofo. Vontade de ser amiga dele pra sempre.

Ele tirou fotos de grupo e também fotos individuais. Parece que vamos receber as fotos individuais depois – se isso acontecer posto aqui -, mas algumas das fotos em grupo você vê na Revista Nacional – como poucos tem acesso, tiramos foto da revista (quem vai desmontar essa raridade pra escanear?). O resultado da foto em que eu saí você vê abaixo. As outras, pode ver no site das Ladies.

Nunca vou consegui contar o quanto isso foi importante pra mim. Vou falar sobre esse dia pros meus filhos, netos, bisnetos. Quero enquadrar as fotos mesmo que isso faça com que eu seja o tipo de gente que tem uma foto sua enorme na sala. Tudo bem, porque quando me zoarem por isso, eu vou dizer:

Esse foi o dia em que J.R. Duran me fotografou.

E pronto.

 

  • ‘Nunca fui bonita (rosto redondo, nariz meio largo, pancinha que não é reta: tenha esses “atributos” e dê adeus ao sonho de ser modelo)’ = Dani, vá cagar! Você é uma gata, amigs!

  • ‘Nunca fui bonita (rosto redondo, nariz meio largo, pancinha que não é reta: tenha esses “atributos” e dê adeus ao sonho de ser modelo)’ = Dani, vá cagar! Você é uma gata, amigs!

    • hahah você me acha bonita porque gosta de mim, mas minha ~beleza~ num dá pra ser modelão ;˜ 

  • Mais linda impossível! 

  • Ficou linda, Dani! =D

  • Esse foi o dia em que J.R. Duran me fotografou. E ponto.<3

  • “Nunca fui bonita”.  

    Não mesmo. Bonita é pouco… 

    bocó.
    >/

  • Pingback: Cinco coisas legais de 2012. « Mais Magenta()