Instagram

Follow Me!

  • Home
  • /
  • Category Archives: Sem categoria

Wishlist de fim de ano!

Esses dias fui ver os posts que estavam no rascunho. Acreditam que minha wishlist de natal do ano passado tava lá até hoje? Esqueci de postar! Foi bom pra ver o quando minhas necessidades e vontades mudaram!

 

1) Minha coleção de discos só cresce, tanto dos que adquiri em feirinhas quando os que herdei/afanei da casa dos meus pais. O problema? Me falta uma vitrola. Essa aí custa R$500 na Casa dos Toca-discos.

2) Amos jogos de dança pro Kinect, do Xbox! Recentemente lançaram o Just Dance 4 e o Dance Central 3. Além de serem muito divertidos, você gasta muitas calorias jogando esses jogos! Além deles, gosto de jogos de luta e GTA, que ainda não tenho. Queria também um outro controle pra poder jogar contra o Chicó e, claramente, ganhar dele.

3) Um futon delícia desse ia ficar incrível na minha sala e ia acabar com o leva e traz do colchão quando queremos mais conforto pra ver TV. R$800 na Meu Móvel de Madeira.

4) Prometi que em 2013 vou fotografar mais. Essa Fisheye No. 2 Lime Punch custa $279 na Lomography Brasil. Essa cor está esgotada, mas olha só a rosa que maravilhosa!

5) Nunca usei os cosméticos da Benefit mas ouço tanto falar que morro de vontade, principalmente pelo High Beam e Benetint. Esses kits vem com versões menores dos produtos então é perfeito pra quem quer testar! O Feelin’ Dandy sai por R$145 na Sack’s.

6) Quero muito uma mesa digitalizadora pra fazer algumas intervenções em fotos que coloco aqui no blog! Infelizmente não encontrei uma loja brasileira que venda essa Wacom Bamboo Connect, mas na Amazon ela sai por só U$70!

 

Cinco coisas legais de 2012.

Esse ano foi um ano estranho. Dezembro chegando e todo mundo já começou a fazer uma análise mental do que aconteceu, a balança do ano… Quando estava pensando pra fazer esse post, juro que tive dificuldades pra lembrar de coisas incríveis que tenham acontecido durante 2012. Claro que sou grata por todos os momentos bons, mas foi um ano bem cheio de altos e baixos e momentos de marasmo eterno… falta de grana, falta de assunto, falta de planos e sonhos se realizando.

O lado bom é que a gente amadurece e aprende a dar valor pra pequenas coisas. E eu tive momentos pelos quais agradecer esse ano.

1) Fazer dois anos de namoro com o Chicó
Esse ano nós fizemos dois anos de namoro, e um ano oficialmente morando juntos (antes eu meio que morava na casa dele não oficialmente). Fomos um fim de semana antes pra Porto Alegre pra comemorar e foi uma viagem super gostosa, já falei dela aqui e aqui com várias dicas e roteiro. No dia mesmo, comemos no nosso lugar favorito (a Lanchonete da Cidade) e ficamos juntinhos :)
2) Ser embaixadora do Planeta Terra de novo
Pelo segundo ano consecutivo o blog foi escolhido como Embaixador do Planeta Terra. Foi muito legal! O festival foi incrível e continua sendo um dos meus favoritos no Brasil. Tem um post aqui falando o que achei!

3) Ver a Alice crescer 
Esse ano minha sobrinha completou um aninho. É incrível ver a pequena crescer assim tão rápido. Ele já anda, fala algumas coisas e apronta um monte. Foi um ponto muito alto da minha vida me tornar tia.

4) Trabalhar na MTV
Em Outubro comecei a trabalhar coordenando a àrea de Mídias Digitais da MTV! É um emprego muito legal, num lugar muito legal, com pessoas muito legais. Estou muito feliz aqui :) O blog também acabou entrando na rede de parceiros do Portal MTV, como alguns de vocês puderam perceber com a barrinha aí embaixo!

5) Adotar o Bowie e o Jagger
Meus gatinhos são a coisa mais preciosa do mundo! Muito carinhosos, se amam… são umas pestes, às vezes dão trabalho, mas quem liga? :) Já fiz um post cheio de fotos deles aqui pra vocês saberem mais da história de como eles chegaram até mim.

Fora isso, outros momentos incríveis: a publicação das fotos do Duran, o dia em que eu conheci o Liniers, meu aniversário em casa com amigos… E vocês, já começaram a fazer suas retrospectivas de 2012? Ainda tem pouco mais de um mês pro ano acabar, mas ainda dá tempo de muita coisa boa acontecer.

Aniversário da Alice

Sábado passado foi a festinha de aniversário da minha sobrinha, Alice, que fez um ano (como eu já disse aqui). Foi bem gostoso, minha mãe quem fez todos os docinhos e o bolo. O tema era jardim, e minha mãe colocou até os três gatos dela… muito prendada. Foi um dia especial.

tia babona.

finalmente chegou a hora dos parabéns e de meter a mão no bolo:

o bolo tava muito bonitinho, e minha mãe não é boleira nem nada (tava gostoso também):

vovó, titios e papai:

todo mundo fica meio idiota quando coloca o chapéuzinho:

e por fim, um cheirinho gostoso de bebê:
NHAC!

O dia em que fui fotografada por J.R.Duran

Quando uma coisa muito importante acontece na sua vida, é difícil guardar segredo. Poucas pessoas mais próximas sabiam que, em setembro do ano passado, realizei um sonho sendo fotografada por ninguém menos que J.R. Duran. Sim, o fotógrafo que faz fotos incríveis e que tem um talento pra deixar qualquer mulher maravilhosa.

Eu ainda jogava roller derby com as Ladies Of Hell Town (atualmente estou afastada por um problema no joelho e acabei vendendo meu equipamento) quando o convite apareceu. Ele queria que nós fôssemos até o estúdio dele participar de um ensaio para a Revista Nacional – seu projeto autoral super badalado.

Sempre gostei de ser fotografada, desde criança. Ficava ensaiando caras e bocas na frente do espelho. Sei o que fazer pra parecer melhor na foto – língua no céu da boca, rosto pra cima, boca levemente aberta. Nunca fui bonita (rosto redondo, nariz meio largo, pancinha que não é reta: tenha esses “atributos” e dê adeus ao sonho de ser modelo) nem alta o suficiente pra ser modelo então me contentei com o talento de amigos fotógrafos pra me realizar e ter fotos bonitas. Então quando chegou o dia de ser fotografada pelo Duran, fiquei ansiosa o dia inteiro. Nem consegui trabalhar direito e fui direto pra lá, com meu equipamento nas costas, um short preto e uma camiseta do Garotos Podres.

Todo mundo tinha medo de que ele fosse bravo e rígido. Que brigasse com a gente porque não sabemos o que fazer na hora.

Quando entramos no estúdio, mais de vinte meninas fazendo a maior zona, logo mudamos de idéia. Duran fez questão de cumprimentar uma por uma. Foi um querido durante as três horas que ficamos com ele. Paciente ao extremo com nossa falta de experiência na frente das câmeras. Quando chegou minha hora de ser fotografada, eu esqueci todos aqueles truques pra sair bem na foto porque O CARA estava ali atrás da câmera e eu estava literalmente tremendo. Depois, ele conversou com a gente e gravou tudo. Deu risada, deu beijinho em uma por uma, perguntou nossos nomes. Um fofo. Vontade de ser amiga dele pra sempre.

Ele tirou fotos de grupo e também fotos individuais. Parece que vamos receber as fotos individuais depois – se isso acontecer posto aqui -, mas algumas das fotos em grupo você vê na Revista Nacional – como poucos tem acesso, tiramos foto da revista (quem vai desmontar essa raridade pra escanear?). O resultado da foto em que eu saí você vê abaixo. As outras, pode ver no site das Ladies.

Nunca vou consegui contar o quanto isso foi importante pra mim. Vou falar sobre esse dia pros meus filhos, netos, bisnetos. Quero enquadrar as fotos mesmo que isso faça com que eu seja o tipo de gente que tem uma foto sua enorme na sala. Tudo bem, porque quando me zoarem por isso, eu vou dizer:

Esse foi o dia em que J.R. Duran me fotografou.

E pronto.

 

Um ano no país das maravilhas.

Um ano atrás, eu peguei o trem lotado e saí correndo no meio da Avenida Paulista, briguei com a recepcionista que demorou pra entregar meu crachá e corri pra frente de um vidro. Fiquei lá, esperando ela chegar. Enorme, cabeluda, Alice veio ao mundo.

Depois que ela nasceu, nada foi igual. Às vezes fico muito tempo sem vê-la, por coisas da vida, mas não tem um dia que eu não pense nela. Fico vendo fotos e vídeos, ouvindo a risadinha. Agora, aos poucos, ela aprende a falar. Já anda direitinho – às vezes cambaleante, mas não cai. Fala “ó”, “esse”, “aqui” e aprendeu a falar o nome da gata antes de mamãe e papai. Outro dia, sentou do meu lado e suspirou. “Ai ai”. Coisinhas tão pequenas, vindas de uma coisinha tão pequena.

Eu não sabia que era possível sentir tanto amor por uma pessoinha. E ela cresce tão rápido… Se ser tia é essa dádiva, imagina quando eu for mãe? Acho que vou explodir de amor.

Hoje a pequena faz um ano. Amanhã tem festinha pra me empanturrar de brigadeiro e bolo. E colocar a cara na barriguinha dela pra ver ela sorrir com covinhas e fazer meu coração ficar quentinho.

:) Feliz aniversário, Alice. Obrigada por me levar ao país das maravilhas.

Finados.

Meu feriado foi assim. Assisti toda a quarta temporada de Sons of Anarchy, brinquei com os gatos, lavei roupa e voltei pra cama. Estou até com dor nas costas de tanto ficar deitada. Hoje vou dar uma volta com meus pais e ver minha sobrinha, que estou morrendo de saudades. Aparentemente ela está andando sozinha e aprendeu a falar ‘titia’. Levarei a câmera. Num momento de tédio, fiz essas fotos. Achei que ilustravam bem meu dia de finados. Rendeu até um gif animado!

Se bem que está mais pra gif desanimado

 

Fui pra Porto Alegre, tchau! – Parte II

Um amigo tinha indicado o Lola Bar de Tapas (Rua Castro Alves, 422) e como era bem pertinho de onde estávamos hospedados, resolvemos conhecer. Grande indicação! O lugar é lindo e recomendo a todo mundo que mora em PoA ou que esteja indo visitar. A sangria é uma delícia, e as batatas rústicas bem gostosas. Climinha gostoso pra ir com amigos ou a dois e tirar várias fotos pra postar no Instagram que nem nós fizemos, haha.

Depois fomos pra um boteco chamado Bambus – se você mora em São Paulo e frequenta a Augusta, o Bambus é o Bahia de Porto Alegre. Ficamos bebendo cerveja e conversando até meia noite quando iríamos pra uma balada chamada Cabaret (Avenida Independência, 590) . O lugar é muito legal! É uma mistura de Funhouse em SP com Casa da Matriz no RJ, toca indie rock e estava bastante cheio. Fiquei em choque que uma vodka com energético – chamada COMBO – custa só dez reais (alô, eu moro em São Paulo). Nos divertimos muito.

No dia seguinte, morrendo de ressaca, só conseguimos almoçar numa churrascaria rodízio (obvio) e dormir até a hora do jogo do Grêmio x Santos. Um amigo tinha comprado ingresso pra gente e saímos um pouco mais cedo pra encontrá-lo e passar na GremioMania, uma loja enorme que tem várias coisas do time. Eu encontrei a camisa que queria, uma vintage réplica da camisa de 1983 – ela é de linha, muito linda! Depois entramos no estádio que estava lotado (os ingressos esgotaram dias antes) e o Chicó quis ficar na geral, bem atrás do gol. Ali, quando o Grêmio faz gol, rola a Avalanche e eu estava apavorada. Se você não sabe do que eu estou falando, segue um vídeo assustador pra ilustrar:

Basicamente quando o Grêmio faz um gol a torcida toda começa a correr pra baixo nas arquibancadas (e quem tá embaixo começa a subir). É um deus-nos-acuda. Mas eu achei que era pior! Passei mais perrengue no show do Foo Fighters, sobrevivi. Mas até o Grêmio fazer um gol, estava aterrorizada de medo. Haha!


Foi bem legal. Como íamos viajar bem cedo no dia seguinte, voltamos pro hostel pra descansar. Amei a viagem e foi bem gostoso estar por lá e viver várias coisas novas com o Chicó! Obrigada, Porto Alegre :)

 

Moves like Jagger – nosso filhote novo!

Eu sempre fui gateira. Eu e os gatos temos uma coisa, sabe como é? A gente simplesmente se dá. Somos almas parecidas, temos jeitos de pensar parecidos. Gostamos de um bom cafuné, mas às vezes queremos ficar sozinhos. As coisas tem que ser do nosso jeito e somos sempre os reis da casa. Sou uma humana felina, mesmo. Fazer o quê?

Quando o Mika foi morar numa outra casa, e o Pipo havia ficado morando com meus pais, eu me sentia muito sozinha. É como se eu, sem bichinhos, não fosse eu. Eu gosto de cuidar e amar essas bolas de pêlos. Então adotamos o Bowie. Esse ruivão chegou aqui com uns três meses e no primeiro dia não parava de miar. Miava comendo, miava usando a caixinha de areia, miava brincando e miava até dormindo! Depois que ele se acostumou com a gente, melhorou. A única mania é a de mamar na minha cabeça, afofando meu cabelo. Um bebêzão.

Mas o Bowie sempre foi um gatinho muito carente – quando chegávamos em casa depois do trabalho, ele não parava de miar até a gente sentar pra ele poder dormir no nosso colo. Quando viajamos, vimos que ele ficou estressado por ficar sozinho. Então adotamos uma companhia pra ele. Foi aí que Mick Jagger entrou em cena. Bowie ganhou um irmãozinho alguns meses mais novo e com um quinto do seu tamanho.

No primeiro dia achei que eles iam se estranhar. O gatinho estava super assustado e o Bowie ficava atrás dele o tempo todo, mas fazendo uns barulhos. Fingimos que nada estava acontecendo e fomos dormir. No dia seguinte, peguei o Bowie no ato dando umas lambidinhas na orelha do irmão.

Agora não faz nem uma semana que os dois estão juntos e já são um grude. Onde um vai, o outro vai atrás. Bowie acha que o filhotinho é um brinquedinho e tá sempre tentando morder e pegá-lo. Já o Jagger, quer mais é dormir. Os dois se uniram pra atacar minha cesta de pão, que já ganhou uma almofada e virou cama de gato. Fazer o quê… eles são os reis da casa mesmo.

PS: pra quem sempre me pergunta onde mandei telar as janelas, o telefone é 2641-0633. O cara fez um trabalho bom, um preço justo e foi bem rapidinho.

PS2: Tanto o Bowie quando o Jagger foram adotados na Confraria dos Miados e Latidos. O Pipo, que mora com minha mãe, foi adotado pelo Adote Um Gatinho. Não compre, adote! Tem muitos gatinhos sem casa por aí e você pode dar amor pra um deles :) 

Quando a gente viaja é irado, é dez.

No feriado de 7 de setembro eu, Chicó e uns amigos resolvemos dar uma fugida pra chácara do Thi (que fez o logo do blog, já falei dele aqui!) em Itatiba. Essa vida de trabalho-casa todo dia tava me cansando e eu precisava de um lugar onde pudesse ficar comendo, dormindo e nadando não necessariamente nessa ordem. A gente nunca tinha ido lá e o lugar é maravilhoso. Vontade de ficar lá pra sempre.

O bom é que é pertinho, nem 100km daqui. Em uma hora estávamos lá (acho que passamos mais tempo no mercado do que na estrada, na verdade).

A Gabi é a pessoa mais prendada do universo. Estou até agora sonhando com a torta de limão dela, e os cookies de chocolate quentinhos. Fora isso, a alimentação me engordou dois quilos que eu já tinha perdido porque passamos três dias praticamente à base de churrasco e cerveja. Mas tudo bem, porque foram dois quilos que me diverti muito ganhando.

Teve videokê, “quem sou eu”, roletinhas… Deu pra dormir bastante, tentar domar a bóia de baleia (acho que somos um pouco maiores do que o que ela aguenta) e o Chicó até rolou de um barranco. Super emocionante. Eu poderia ter tirado fotos incríveis mas a esperta aqui se lembra de levar lixa de unha mas não leva o cartão da câmera…

Cadê a máquina pra voltar no tempo?

Fim de semana: Bourbon Street Fest e vinis incríveis.

Os dias tem sido corridos no trabalho, com direito a um fim de semana inteiro trabalhando no Creators. É gostoso e a gente aprende bastante, mas passar duas semanas trabalhando direto sem fim de semana é tenso e me lembra a época de plantão no fim de semana – se jornalista sofre, quero nem pensar como é ser médico.

Esse fim de semana que eu deveria descansar… não parei um minuto. Fui resolver uns assuntos no sábado e depois fui com meu amigo Thiago no Bourbon Street Fest. Eu vou nesse festival desde 2008 e nunca vi tão lotado como estava. Acho que foi uma combinação de boa divulgação (Facebook tá aí pra isso) e dia lindo que fez no sábado – calor e sol o dia todo. Muita gente que já estava pelo parque ficou por lá pra curtir o show. Não dava pra encontrar ninguém e o sinal da TIM ficou aquela maravilha… Mas valeu a pena.

Domingo era dia dos papais e eu fui até o bronx ver El Bigodón! Almocei lá e aproveitei pra roubar uns discos da coleção deles, já que eles não devem ter ouvido jamais. Tem cada disco incrível lá, inacreditável. The Smiths, David Bowie, Cazuza, um disco triplo do Woodstock, Dire Straits, Elis, George Michael, Elvis, Madonna e Culture Club… Não consegui achar uns outros que quero muito – tem Kraftwerk e outras coisas incríveis – mas fica pra uma próxima visita.

12345