Instagram

Follow Me!

mamiseeu

Desculpa, mãe. Não deu.

Não cabe em um post a quantidade de conselhos que minha mãe me deu e eu nunca segui.

Tipo aquela vez que eu namorei um cara que ela odiava, e eu insisti porque achei que ela estava só sendo preconceituosa pois o guri tinha moicano mas na verdade ele era um babaca, como muitos outros. É que quando a gente se apaixona fica cega, e pra mãe ninguém vai ser bom o suficiente pra filha mais nova e meio boba quando se trata de amor.

Mas mãe sempre sabe, né? Pena que a gente só aprenda errando.

mamiseeu

Tipo aquela vez que ela falou que eu não deveria começar a pintar meu cabelo de colorido porque ele era lindo e ia estragar, o que realmente aconteceu (eu nunca mais tive as luzes naturais que tinha aos 14 anos), mas enquanto ela mesma descoloria e tingia – porque a gente não tinha dinheiro pra ir no salão e qualquer cabeleireira do interior ia me chamar de maluca naquela época – disse que quando eu visse as fotos dez anos depois eu ia me arrepender e morrer de vergonha.

Dessa vez ela não tava certa, porque estou aqui com 27 anos pintando mechas multicoloridas como se não houvesse amanhã (nem ontem).

Eu fiz um monte de tatuagens, e continuo fazendo. Fui trabalhar com coisas que não dão dinheiro ao invés de prestar concurso público. Tenho quase 28 anos e não só não casei como não tenho nem previsão de ter um relacionamento nos próximos anos. Às vezes eu acho que devo ser uma grande frustração pra ela, que gostaria que eu fosse uma ~pessoa normal~, apesar de nunca ter dito isso dessa forma. Porque minha mãe sabe que nenhum dos filhos dela bate bem, e que a gente nunca se encaixaria num estilo de vida tradicional. Somos tatuados, roqueiros, nerds. É que ela não percebe que isso tudo a gente herdou dela mesmo – eu cresci ouvindo os discos de vinil do Elvis que até hoje tento roubar pra minha coleção (o do show no Havaí é impossível), ela fez uma tatuagem antes de mim e é a mestre de stalkear pessoas no Facebook (tem até perfil falso!).

Domingo é dia das mães.

Minha família nunca ligou muito pra essas datas comemorativas – talvez minha mãe nem lembre que domingo é o dia dela. Mas eu vou levar um presente, vou levar flores, vou dar um abraço. Porque as coisas não estão fáceis e não tem nada que eu possa fazer pra melhorar, quando só o tempo conserta tudo. Mas quem sabe eu possa levar um pedacinho de amor, um sorriso.

Quem sabe eu leve esse post pra ela ver que eu sou um pedação dela – e que ela é meio maluca também.

 

Esse post faz parte da blogagem coletiva ‘Conselhos que minha mãe deu e eu nunca segui’, do #rotaroots! 

  • Suely Borges

    Amo você!!!

  • Manu

    AAAH… que fofa! Amei o post, Danielle!

    Aproveita e dá um pulo também lá no meu blog, está cheio de dicas incríveis! (:
    The Experts: http://migre.me/jazE4

    Beijão! (:

  • Que coisa boa abraçar a mãe e enchê-la de beijos hein! E ó, vale mesmo a pena seguir alguns conselhos hahaha bjos!

    http://mahjestic.com/blog

  • A gente sempre é um pedaço de quem nos cria, não tem jeito. Espero que teu dia ao lado dela tenha sido gostoso e com muito amor!

  • Tita Lubarino

    chorei com seu post. Muito eu, em 99% das situações que você descreveu. Hoje minha mãe está fazendo quimio, por conta de um cancer de mama, e eu enxergo que não sou nada daquilo que ela esperava de mim, que poderia ter seguido muito mais, mostrado muito mais meu amor. Mas a vida é assim, a gnt trilha os caminhos, e acaba de acostumando com eles. Amo quem eu sou hoje, mas se pudesse, faria diferente! :*