Instagram

Follow Me!

1236204_10152578552529062_29665398_n

Como foi o MECA Festival 2014!

Como vocês sabem, no fim de janeiro fui até o Rio Grande do Sul pra um festival de música que rolou na cidade de Maquiné. O MECA Festival acontece há alguns anos por lá e nesta edição vieram bandas como Friendly Fires, Charli XCX e Savoir Adore!

No ano passado eu e umas amigas decidimos no impulso, via twitter, comprar o ingresso. Daí em diante, fomos aos poucos transformando a viagem em realidade – resolvemos ficar no camping, que teria algumas atrações extras. Pedimos barraca e colchão emprestados, conseguimos passagens de promoção até Porto Alegre, organizamos daqui de São Paulo uma van pra levar a gente e mais 10 perdidos até Maquiné, reservamos hostel pra ficar no domingo pós-festival. Foram mais de três meses de ansiedade pra chegarmos lá e…

…chover.

A previsão de tempo era de chuva pro fim de semana inteiro. Em Porto Alegre, quando cheguei lá na sexta, fazia uns 40 graus. O verão gaúcho é bizarro de quente e eu me arrependi instantaneamente de estar de calça. Troquei o short na van mesmo porque pudor não é meu forte e, enquanto estávamos armando a barraca (ops) começou a cair uma chuvinha. Ok, passou, todo mundo pra piscina curtir uma festinha.

Mas aí, se prepara pro perrengue:
A noite estava só começando quando desabou o maior temporal de todos os tempos, entrou água na barraca de todo mundo, a festa de sexta foi cancelada e todo mundo foi dormir molhado e bolado – tirando uma louca que ficou CANTANDO ATÉ SEIS DA MANHÃ.

1549202_10152578552664062_753930278_n

Fato é que a organização não estava preparada pra chuva. No dia seguinte, logo cedo, rolou a possibilidade de o festival nem acontecer já que a festa da noite anterior foi cancelada por risco de curto circuito no palco. A promessa de ‘comida 24h horas’ ficou no ar, já que a única lanchonete aberta no local não funcionava de madrugada em nenhum dos dois dias e era o mesmo local em que o staff fazia suas refeições. Os campistas não podiam fazer as refeições na mesma hora em que o staff, ou seja… você, morto de fome, só pode almoçar 16h quando o último funcionário do festival tiver almoçado. Sentido? Nenhum. Restava esperar o festival abrir pro público que não estava no camping, às 15h, e pagar dez reais num pedaço de pizza. Enquanto amanhecia o domingo, depois de mais um tempo de chuva (vou falar do festival mesmo mais pra frente), o gerador do camping foi simplesmente retirado e toda a Fazenda estava sem luz pois um dos “clubinhos” usou a energia do local pra ligar um canhão de luz quando deveria ter levado gerador próprio. Banho quente? Nem pensar. No segundo dia sem banho, já que no primeiro sua toalha estava completamente encharcada, só te restava esperar a van chegar e ser uma pessoa limpa quando chegasse no hostel. Resumo da ópera: ficamos sem energia no domingo, não rolou nenhum evento prometido para o camping (festa da sexta cancelada por falta de estrutura, pool party miada por causa da chuva, churrasco gaúcho deveria ser pago a parte e não era nada barato – uns 30 reais – sendo que a organização deu a entender que tudo estava incluso no pacote que pagamos pelo camping).

1545661_10152578552399062_192046497_n

Agora, vamos ao festival. Aí eu realmente não tenho do que reclamar. Pra quem só foi ao festival no sábado, a experiência mesmo com o chuvisco chato deve ter sido muito melhor. A fila para comprar ficha era suportável – a única coisa chata era a falta de sinal nas máquinas de cartão, mas quando você for a um festival no meio do nada LEVE DINHEIRO EM ESPÉCIE – e não durava mais que 10 minutos. Os banheiros eram ok e em boa quantidade. Não era muito lotado, então você podia ver os artistas de pertinho – e eles ficavam no meio da galera entre os shows, de boa. Tinha uma boa variedade de comida, mas se você é vegetariano melhor levar comida de casa. E além dos dois palcos também rolavam os ‘clubinhos’, casas mantidas por marcas que promoviam ações e micro-festas dentro do festival, como foi o caso da Adidas, o clubinho mais animado do MECA. Fiquei horas lá!

1236204_10152578552529062_29665398_n

O show do Friendly Fires foi mega animado e até quem não conhecia muito as músicas não parou de dançar. Savoir Adore é mega fofo e dá vontade de abraçar todos os integrantes. A Charli XCX é o tipo de mina ~descolada~ que eu queria ser amiguinha. Já o Klangkarussel eu não curti muito e achei que não tinha nada a ver com o resto do festival.

tumblr_n046rwtZxQ1qzixl0o1_500

No geral, eu me diverti. Acamparia de novo? Nem morta. E acho que a organização tem que se preparar muito melhor pra receber campistas novamente. O festival é incrível e eu recomendo que se vá uma vez, mas alugue uma casa por perto ou, pelo menos, um motor home – que era permitido também!

Por causa da chuva eu acabei não ficando com a câmera durante os shows. Mas o pessoal do I Hate Flash tirou fotos incríveis do festival. Cola lá pra ver!

  • Nina

    faltou dizer que pagamento no cartão, só acima de 50 reaish…
    uó.

    • André

      eu só comprei em cartão e passei valores bem abaixo disso

      • debas

        no bar do camping podia, no do festival não.

        • De tarde eu consegui comprar valor menor com cartão, sim. Mas de noite eles só passavam se fosse acima de 50 reais mesmo!

        • André

          eu só fui ao festival. comprei com cartão sempre valores pequenos em todos os pontos q vendiam fichas.